Economize custos energéticos e invista no futuro

ABC DO ISOLAMENTO ACÚSTICO:

ACOPLAMENTO: Efeito de transmissão sonora através de uma parede dupla que inibe o efeito de isolamento acústico. Existem 4 casos:

  • Acoplamento por frequências críticas e resonância individual de cada parede: As paredes duplas devem possuir diferentes espessuras se forem de um mesmo material ou diferente densidade para evitar este acoplamento.
  • Acoplamento devido a ondas estacionárias geradas na câmara: A reflexão das ondas na cavidade gera na mesma o aparecimento de frequências de ressonância que induzem a uma diminuição do isolamento do sistema construtivo duplo. Esses efeitos prejudiciais podem ser evitados quase que totalmente mediante a colocação de materiais absorventes de poro aberto na câmara. Por isso nunca devem ser instalados materiais não porosos como as espumas rígidas injectadas de poro fechado.
  • Acoplamento devido à ressonância da parede dupla: Quanto maior a massa dos elementos e maior a espessura da câmara (4-5 cm), melhores são os resultados do isolamento.
  • Acoplamento directo devido a juntas rígidas entre os componentes: Também conhecidos como pontes acústicas. Deve-se evitar a união rígida de componentes (tubos, argamassa ou similares). Apenas algumas pontes acústicas podem acabar com o efeito de isolamento do conjunto.
BANDAS DE OITAVA: O ruído decompõe-se em bandas de oitava. Isso significa que, normalmente, se decompõe em frequências principais de bandas de oitava que são 31,5; 63; 125; 250; 500; 1000; 2000; 4000; 8000 e 16000 Hz.

COEFICIENTE DE ABSORÇÃO ACÚSTICO: Para avaliar as propriedades de absorção de um material, define-se o coeficiente de absorção acústico ALPHA, que representa a relação entre a energia absorvida (Ea) e a energia incidente (Ei) por unidade de superfície:

ALPHA = Ea/eI

Os valores de ALPHA encontram-se compreendidos entre 0 e 1, o que representa pouca absorção ou grande absorção acústica respectivamente. Os materiais de obra típicos possuem valores de ALPHA baixos e os materiais porosos absorventes, valores de ALPHA elevados.

DENSIDADE DO MATERIAL ABSORVENTE: Convém que a densidade do material absorvente se situe entre 40 e 80 kg/m3, sendo um factor pouco relevante quanto ao poder de absorção.

ESPESSURA DO MATERIAL ABSORVENTE: A espessura do material absorvente é determinante para se obter um bom isolamento já que, em função da espessura, a parte percorrida pela onda sonora no interior do material será mais longa, com o conseguinte aumento das oportunidades de fricção no seu percurso, o que provoca um aumento da energia transformada em calor na estrutura porosa interna.
Para além disso, com uma maior espessura consegue-se melhorar o efeito absorvente no que diz respeito às frequências mais baixas. Isso deve-se ao facto das baixas frequências terem um maior comprimento de onda LAMBDA, conseguindo uma redução óptima a partir de LAMBDA/4, sendo conveniente que a espessura do material absorvente seja superior a LAMBDA/4 das frequências que se queira reduzir. Quanto mais baixa a frequência que queiramos isolar, maior deve ser, portanto, a espessura do material isolante.

LAMBDA: Comprimento de onda LAMBDA = v/f, onde v é a velocidade do som (345 m/s) e f é a frequência.

LEI DE MASSAS: Em paredes ou muros de separação enrtre moradas, é conveniente que estes possuam uma maior massa, ou seja, uma alta densidade. Na faixa de frequências intermediárias, superiores a 100 Hz e inferiores a 2700 Hz, consegue-se uma importante redução de ruído, na ordem de 6 dB cada vez que se duplica a massa da parede ou a frequência.

MATERIAIS ACÚSTICOS ABSORVENTES: Para o acondicionamento acústico em edificações emprega-se, na maioria dos casos, materiais absorventes porosos cujo mecanismo de absorção consiste em transformar a energia acústica, principalmente, em energia calorífica mediante processos de fricção interna.

MECANISMO DE ABSORÇÃO: A porosidade, a propriedade de poro aberto, constitui um factor condicionante para a absorção, já que esta tem lugar quando a onda acústica incidente penetra nos poros e induz nas partículas de ar neles contidas um movimento vibratório que, devido à fricção gerada por interacção com as paredes internas das cavidades, faz com que a energia acústica se dissipe em forma de energia calorífica. Por esses motivos os materiais sintéticos de célula fechada possuem um mau comportamento acústico como materiais absorventes.

RESSONADOR MÚLTIPLO DE CAVIDADE OU DE HELMHOLTZ: Trata-se de painéis perfurados nos quais as partículas de ar contidas nas perfurações vibram, de maneira que se gera calor por fricção, extraindo energia da onda acústica. Os ressonadores são empregues para absorver baixas frequências de forma selectiva.

RUÍDO AÉREO: É o ruído induzido pela perturbação gerada nos volumes de ar que rodeiam as fontes sonoras.

RUÍDO DE IMPACTO: É o ruído induzido por impactos produzidos sobre um ladrilho (por exemplo, batidas com salto de sapato).

SEPARAÇÃO DO MATERIAL ABSORVENTE: Se o isolamento for colocado a uma certa distância (10 a 30 cm) da estrutura de obra, consegue-se obter um efeito semelhante ao de colocar uma camada de  isolamento de elevada espessura para as baixas frequências. Por isso, os tectos acústicos costumam ser pendurados a 30 cm sob a laje.